Publicações de Sebastião Nery

O supremo cochicho

RIO – No “11 de Novembro” de 1955, internado Café Filho, presidente da República, com problemas cardíacos, o golpista Carlos Luz, presidente da Câmara no exercício da Presidência, tentou demitir o general Lott do Ministério da Guerra para impedir a posse de Juscelino – que havia ganho as eleições de 3 de outubro – mas não conseguiu. A Câmara reuniu-se, derrubou-o e o substituiu por Nereu Ramos, presidente do Senado.

Biografia

Nascido em Jaguaquara, Bahia, em 08 de março de 1932. Pais: Lindolpho Nery e Elvira de Souza Nery Filhos: Jacques Nery (produtor de vídeo), Sebastião Nery Júnior (Jornalista) e Ana Rita Nery (estudante). Formação Primário no Educandário Carneiro Ribeiro, Jaguaquara, Bahia. Seminário menor: quatro anos no Seminário Menor de Amargosa e um no Seminário Menor de Salvador, Bahia. Filosofia: três anos no Seminário Central de Salvador, Bahia. Filosofia: três anos

Biografia – Fundação Getúlio Vargas

Sebastião Augusto de Sousa Nery rasceu em Jaguaquara (BA), no dia 8 de março de 1932, filho de Lindolfo Andrade Nery e de Eivira Sousa Nery. De 1942 a 1950 estudou no Seminário de Amargosa (BA) e no Seminário Central da Bahia, em Salvador. Transferindo-se para Belo Horizonte, colou grau em filosofia na Universidade de Minas Gerais, em 1954, iniciando o curso de ciências jurídicas e sociais que só concluiria

O barão do PT

RIO – Era uma vez um barão. Um barão belga. Albert Frère. O homem mais rico da Bélgica e um dos mais ricos do mundo. Era dono da refinaria de Pasadena,  no Texas, que comprou por 42 milhões de dólares como sucata e vendeu à Petrobrás por um bilhão e 300 milhões de dólares. Um dos maiores negócios (ou negociatas) do século, no Brasil e no mundo. Através da empresa Astra

Pasadena ou passe a grana

RIO – Um amigo de Getúlio Vargas, quando Presidente (eleito em 1950), criticava Ricardo Jafet, cunhado de Paulo Maluf: -Presidente, nos primeiros encontros, no início da sua  campanha eleitoral, Jafet parecia o homem mais desinteressado do mundo. Não pedia nada em troca de sua ajuda. Dizia que era apenas um admirador e lutava como patriota pela volta do senhor ao poder. Depois, quando o senhor lhe entregou o Banco do Brasil,

Eu vi o Golpe

RIO – Deputado pela Bahia, o golpe de 31 de Março de 1964 me pegou no Rio. No dia 13, fui ao “Comício das Reformas”, na Central do Brasil. Na madrugada de 26, o Palácio dos Metalúrgicos, na Zona Norte, superlotado de marinheiros,  trabalhadores, estudantes e políticos, parecia filme da Revolução Francesa. A meu lado, na ponta da mesa, um velhinho negro, alto, magérrimo, cabelos brancos, esfregava as mãos emocionado: -Eu

Bolsa empresário

RIO – Em Viana, no Maranhão,  o padre era do PSD. A UDN nem podia entrar na  Igreja. Na campanha eleitoral, os céus e os santos todos eram mobilizados para a vitória pessedista. José Sarney, deputado federal pela UDN, veio ao Rio tentar resolver o problema. O secretário do senador Ruy Carneiro era “bispo” da “Igreja Brasileira”, mandou um “padre” para Viana. O padre dois chegou lá, começou a disputar o céu.

Lula mestre cuca/Dilma mestra cuca?!

Lula no seu governo ia a TV ensinar a fazer pizza, Dilma vai a TV ensinar a fazer omeletes. Semelhança: Ambas as receitas levam ovos, que naturamente são QUEBRADOS, de tabela estão quebrando o PAIS também! Mestre Nery, este relato vai o ilustre afim de que o honrado jornalista me de o prazer de ver o comentário sobre tais coincidências. Forte Abraço.   Marco Antônio Por e-mail: (maco-77@hotmail.com)

A cuia de chimarrão

Nery, Fabuloso como sempre. Dei uma boa desopilada do fígado, como se dizia naquele tempo, lendo seu texto bem arrumado, na forma (ô fedhado), passada a régua, tridimensional regular e sólido  que nem uma rapadura. Deliciei-me com a Aeronáutica-partido-político, Lacerda dando pitaco, Jânio usando a autoridade logo no começo que pra não perder o jeito de mando: General, me faça um favor, mande a Aeronáutica tomar o primeiro avião que

Admiração por Nery

Meu querido Sebastião Nery, Hoje tenho 62 anos, mas desde menino que que sou seu fã, explico: só há 10 anos que moro aqui em Salvador. Sou natural de Valença-BA onde morei 52 anos. Meu pai, Gentil Paraiso Martins, foi político e prefeito de Valença por três vezes, coisa que já me orgulhei pela lisura com que ele governou, mas hoje tenho vergonha de dizer. Quando menino, as convenções para